Jogos de Antigamente

Antigamente, no tempo que não havia televisão e internet, as crianças entretinham-se com jogos na rua. As meninas, mais recatadas, entoavam cânticos e lengalengas, saltavam à corda e faziam jogos de roda. Já os rapazes, mais aventureiros, faziam corridas pelas encostas ingremes, jogavam ao pião e construíam os seus próprios brinquedos com cana vieira. Recorda-se destes tempos?

Jogo das Andas
As andas, também conhecidas por “andeiras”, eram construídas com duas varas, dois pedaços de tábua e pregos. Este era um jogo de corridas em que cada jogador, tentava ser o primeiro a alcançar a meta sem cair. Se algum jogador caísse das andas durante o percurso, voltava à linha de partida e recomeçava a prova.


Foto: A Joeira (Associação de Artes e Tradições da Madeira)



Jogo do Pião
Na Madeira, entre os jogos do pião mais populares, registam-se a roda, a malhada, a malha e o quinau, praticados em equipas, cujo objetivo era acertar com o seu pião, no pião do adversário.



Corridas
Hoje em dia, estas corridas são mais elaborados, mas antigamente eram utilizadas tábuas de madeira untadas com um bocado de sebo ou pneus cheios de água e sabão conduzidos com 2 paus. Os caminhos ingremes da Madeira ajudavam à diversão de quem tentava chegar abaixo em primeiro lugar.




Malha
Na Madeira, o jogo da malha era bastante popular no concelho do Porto Moniz e na ilha do Porto Santo. Aqui, em vez de se utilizar a malha de ferro, recorriam-se às pedras encontradas na ribeira do Seixal e praias de Porto Moniz e Porto Santo. As pedras eram lançadas com o objetivo de derrubar outras duas pedras colocadas a uma certa distância.  




Brinquedos artesanais
Os brinquedos de fabrico artesanal, como os carros de cana e as joeiras (papagaio de papel), ocupavam os tempos livres da criançada. E que divertido que era construir um carro de cana!

Foto: A Joeira (Associação de Artes e Tradições da Madeira)



Foto: A Joeira (Associação de Artes e Tradições da Madeira)

Fonte: Sílvia G. Gomes em AprenderMadeira.net

Sem comentários:

Publicar um comentário